Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 7.jpg
  • 6.jpg
  • 8.jpg
  • 2.jpg
  • 9.jpg
  • 5.jpg
  • 1.jpg
  • 3.jpg
  • 10.jpg
  • 4.jpg

Agrotóxicos

Agronegócio, o assassino em série dos trabalhadores rurais

Artigo

O noticiário sobre a rotina incessante de crimes relacionados aos conflitos no campo não revela as causas de toda essa violência. Traz à tona o seu pior efeito - o assassinato em série de trabalhadores rurais - assim como expõe a incapacidade do governo de proteger a vida das pessoas…

Leia mais:

“Há um ocultamento dos impactos dos agrotóxicos e a falsa ilusão de que eles não existem”

Os dados sobre o uso de agrotóxicos no Brasil são preocupantes. O país é o líder mundial no consumo de agrotóxicos, com o uso de aproximadamente 1 bilhão de litros de venenos agrícolas por ano. É como se cada brasileiro consumisse uma média de cinco litros de veneno anualmente.

Os lucros no setor também não param de crescer. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), as empresas do ramo tiveram faturamento líquido de US$ 18,2 bilhões em 2010. Parte desse lucro é derivada das isenções fiscais. Por exemplo, no estado do Ceará, os agrotóxicos são isentos da cobrança de impostos como o ICMS, IPI, PIS/Pasep e Cofins.…

Leia mais:

Política agrícola brasileira e o incentivo aos agrotóxicos. Entrevista especial com Flávia Londres

Política agrícola brasileira e o incentivo aos agrotóxicos. Entrevista especial com Flávia Londres Entrevista

O elevado e “alarmante consumo” de agrotóxicos no Brasil é resultado “de um conjunto de opções políticas adotadas pelo país, que remonta aos anos 1960”, esclarece Flávia Londres, autora do livro lançado na semana passada, Agrotóxicos no Brasil – um guia para ação em defesa da vida. Segundo ela, há 50 anos o Brasil potencializou investimentos em um modelo agrícola de monocultura que incentiva o uso de agrotóxicos nas plantações.

Leia mais:

Agora é lei: aplicação aérea de agrotóxico passou a ser proibida em Nova Venécia

As aplicações de agrotóxico através de aeronaves estão proibidas em Nova Venécia, no noroeste do Estado. A proibição foi aprovada com tranqüilidade pela Câmara Municipal de Nova Venécia. O município é o segundo a proibir a pulverização aérea com venenos agrícolas no Espírito Santo.

O município de Vila Valério também proibiu a pulverização aérea no município, em agosto deste ano.…

Leia mais: