Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 8.jpg
  • 4.jpg
  • 5.jpg
  • 9.jpg
  • 7.jpg
  • 1.jpg
  • 10.jpg
  • 6.jpg
  • 2.jpg
  • 3.jpg
O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra em Pernambuco (MST/PE) realiza durante a manhã desta terça-feira (21) uma série de mobilizações e ocupações de terras em todo o Estado, que tiveram início às 8h. Em Condado, Zona da Mata Norte do Estado, os integrantes pedem a desapropriação do Engenho Bonito, pertencente ao Grupo João Santos, onde mais de 100 famílias Sem Terra estariam acampadas há mais de 12 anos. De acordo com a coordenação do MST, teria sido vistoriada e dada como improdutiva pelo INCRA desde setembro de 1996, mas o grupo teria entrado com ação no Tribunal Regional Federal (TRF) pedindo reclassificação fundiária, alegando que na área existia uma plantação de bambu. Ainda segundo a coordenação do MST, em 2004 uma nova vistoria, feita por um perito da justiça, teria comprovado o laudo de improdutividade do INCRA e na sentença o laudo do perito não teria sido considerado e o processo continuaria em andamento. Na manhã desta terça-feira, os agricultores bloquearam também a BR 101, próximo município de Goiânia, zona da mata. Foram verificados também bloqueios na BR-232, próximo ao município de Moreno, e na BR-101, em Escada. Os integrantes do movimento pretendem cobrar do governo o cumprimento de reivindicações consideradas mais prioritárias para o MST no Estado. De acordo com nota divulga pela direção estadual do MST, os atos incluem a reocupação da fazenda Uberaba, no município de Bonito, região Agreste do Estado. Famílias que participam de bloqueio na BR-232 protestam contra a compra ilegal de um lote dentro do assentamento e o despejo ilegal das famílias acampadas nesse lote na semana passada. Em Xexéu, Zona da Mata Sul, 150 famílias sem terra ocuparam a fazenda Cavaco. Ainda segundo a direção estadual do MST, as mobilizações devem continuar por toda a manhã e em áreas consideradas simbólicas e que ainda não foram resolvidas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).