Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 6.jpg
  • 7.jpg
  • 3.jpg
  • 4.jpg
  • 2.jpg
  • 10.jpg
  • 8.jpg
  • 5.jpg
  • 9.jpg
  • 1.jpg

Na noite desta última quarta-feira (15), militares do município de Carnaubeira da Penha - PE, agrediram o indígena Atikum, Edinaldo Manoel de Souza, de 61 anos, até a morte em frente a sua casa. Segundo relatos, Edinaldo escutou barulhos no quintal de sua casa que fica localizado na aldeia Olho D’água do Padre, Terra Indígena Atikum em Carnaubeira da Penha e ao sair para averiguar o que era, Edinaldo se deparou com os policiais, que rapidamente o abordaram perguntando de uma espingarda que supostamente Edinaldo possuía, e ao responder que não possuía espingarda nenhuma, um policial deu um tapa violento no tórax da vítima, e quanto mais os policiais perguntavam e Edinaldo negava a propriedade de uma espingarda, mais ele apanhava. Essa violência durou por vários minutos, até o ponto em que a vítima não aguentou mais e desmaiou, os próprios policiais o socorreram, mas Edinaldo já chegou ao hospital de Carnaubeira sem vida.


Infelizmente mais uma ação de extrema violência, realizada por policiais militares que ao invés de proteger a sociedade, espalham pânico e violência contra pessoas pobres e inocentes. E com o grito de justiça que mais de 200 indígenas do povo Atikum, desceram a serra na manhã desta quinta-feira (16) e ocuparam a cidade de Carnaubeira, exigindo que as autoridades tomem providências urgentemente e punam os policiais adequadamente pelo crime que cometeram.
Os nomes dos policiais envolvidos no caso, não foram divulgados, mas esperamos que esse crime de extrema violência, contra um indígena pai de família e avô não fique impune.


Justiça para Edinaldo já! Nenhuma gota de sangue indígena a mais.

Por Comunicação APOINME