Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 4.jpg
  • 7.jpg
  • 9.jpg
  • 6.jpg
  • 1.jpg
  • 2.jpg
  • 10.jpg
  • 5.jpg
  • 3.jpg
  • 8.jpg

Representantes das comunidades de Bota Velha, Mumbuca e Nossa Senhora de Guadalupe foram recebidos por Renan Filho nessa quinta-feira, 17 

O governador do estado de Alagoas, Renan Filho (MDB), recebeu, na tarde da quinta-feira, 17/02, representantes das comunidades de três ocupações sem-terra que ultrapassam duas décadas produzindo alimentos enquanto enfrentam conflitos no campo e incertezas sobre seu futuro: os acampamentos Bota Velha e Mumbuca, situados na zona da mata, no município de Murici, e Nossa Senhora de Guadalupe, no agreste, em Igaci.

Depois de idas e vindas ao Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral), em um processo de mobilização, as famílias camponesas acompanhadas pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) escutaram do próprio governador as respostas à promessa de regularização fundiária das terras onde vivem e trabalham. A audiência foi fruto de uma negociação que vêm se arrastando desde 20 de julho do ano passado, quando Renan Filho garantiu os recursos para a aquisição das áreas em debate.

Acampamento Nossa Senhora de Guadalupe (Igaci) – Na audiência, o governador assinou o projeto de lei que dispõe sobre a doação do imóvel rural pertencente ao patrimônio do estado de Alagoas para as famílias acompanhadas pela CPT, que estão vivendo na área desde 2009, e prometeu que vai se empenhar, pessoalmente, junto aos deputados aliados, com intuito de garantir a celeridade da aprovação da proposta. A CPT também irá buscar apoio dos deputados conhecidos.

Acampamento Bota Velha (Murici) – Também se aproxima de um final positivo o impasse sobre a área do acampamento Bota Velha. De acordo com o presidente do Iteral, Jaime Silva, enfim, o governo e o proprietário da fazenda entraram em acordo para a desapropriação de uma área de 250 hectares para fins de utilidade pública, que será destinada ao assentamento.  Segundo o procurador Aderval Tenório, esse processo ocorrerá com brevidade por ser de comum acordo entre as partes.

Acampamento Mumbuca (Murici) – O caso de Mumbuca está sendo resolvido em diálogo com a Caixa Econômica Federal (CEF), atual proprietária do imóvel rural ocupado há 23 anos pelos agricultores e agricultoras. O governo de Alagoas irá repassar o recurso negociado para o Iteral, que irá viabilizar a aquisição da área.

A perspectiva, segundo Renan Filho, é que até o final do mês de março esses passos sejam dados e as famílias que moram e produzem nessas três áreas terão a segurança jurídica necessária para trazer mais tranquilidade às suas vidas.

Ao final da audiência, Heloísa do Amaral, coordenadora da CPT em Alagoas, ressaltou que existem áreas emblemáticas de luta pela terra no estado acompanhadas por outras organizações que também precisam da atenção do governo estadual e informou que essas áreas estarão na pauta de reivindicações da próxima manifestação das mulheres do campo, marcada para o Dia Internacional da Mulher, 08 de março. O governador respondeu que estará presente e vai receber as camponesas.

 

 

 

Lara Tapety - Ascom CPT/AL

Foto: Heloísa do Amaral - CPT/AL