Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 6.jpg
  • 1.jpg
  • 3.jpg
  • 8.jpg
  • 4.jpg
  • 9.jpg
  • 10.jpg
  • 2.jpg
  • 5.jpg
  • 7.jpg
Um número em torno de 220 milhões de latino-americanos - 40% da população da região - vivem abaixo da linha da pobreza, informou o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). A região mantém a mesma porcentagem de pobres registrada há 25 anos. No início dos anos 80, havia 135 milhões de latino-americanos pobres. Hoje, mais 85 milhões de pessoas engrossam a lista. Este é o resultado de 20 anos de neoliberalismo: 85 milhões de pessoas que vivem na miséria e ganham menos de um dólar por dia. Mais de 10% da população da América Latina e do Caribe, cerca de 53 milhões de pessoas, não têm o que comer. De acordo com o representante no Brasil da Organização das Nações para a Agricultura e a Alimentação (FAO), José Tubino, a região "é a maior exportadora de alimentos do planeta", produzindo por ano quatro vezes a quantidade necessária para alimentar a população de maneira adequada. "Pessoas em situação de risco de segurança alimentar, muitas vezes, são os próprios pequenos produtores, que não tem capacidade de suprir as necessidades básicas de suas famílias", destacou. Como propostas para melhorar o acesso aos alimentos, Tubino destacou o aumento na produção e na produtividade da agricultura familiar, e a promoção de políticas de segurança alimentar urbana. Fonte: Sítio do MST Publicada em: 25/10/2006