Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 4.jpg
  • 9.jpg
  • 3.jpg
  • 5.jpg
  • 7.jpg
  • 6.jpg
  • 1.jpg
  • 10.jpg
  • 8.jpg
  • 2.jpg
A Direção Estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Pernambuco vem a público repudiar a intensificação do processo de criminalização do MST, através da prisão e perseguição dos seus dirigentes e militantes em Pernambuco, pelo governo do Estado através do seu aparato policial e judiciário. Em um momento de dor e tristeza, em que o MST enterra dois de seus dirigentes estaduais, assassinados no dia anterior, a Policia Militar de Pernambuco, em clara atitude de provocação, prende arbitrariamente o Coordenador Nacional do MST, Jaime Amorim. Enquanto a policia militar usou todo o seu aparato para prender o dirigente do MST, nenhum esforço foi feito por parte dessa mesma policia no sentido de prender os assassinos dos companheiros Josias Barros e Samuel Matias Barbosa. Ao contrario do que a policia e a imprensa quer fazer crer, os dois dirigentes estaduais não foram assassinados por outros companheiros, mas sim por pessoas infiltradas no acampamento com o intuito de desmobilizar os agricultores Sem Terra e desmoralizar o Movimento. Eles foram mortos defendendo a bandeira da reforma agrária contra a manipulação política e os interesses do capital. A prisão de Jaime, feita nesse momento e dessa maneira, tem como claro objetivo confundir a opinião publica e desviar a atenção das verdadeiras razões dos assassinatos dos dois militantes do MST. Diante disso, a posição da Coordenação Estadual do MST em Pernambuco é de exigir a libertação imediata de Jaime Amorim e a prisão dos assassinos de Josias e Samuel. Ontem (21) foi encaminhado pedido de Hábeas Corpus ao Presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Dr. Fausto Freitas, para a libertação imediata de Jaime Amorim; Já foi dado inicio ao processo de pressão política junto ao Ministério Público de Pernambuco pela prisão dos culpados pelas mortes de Josias e Samuel; Toda a militância do MST em Pernambuco está, desde já, em alerta. Caso até o final do dia de hoje (22) não tenhamos nenhuma resposta com relação à libertação do Coordenador Nacional, Jaime Amorim, e à prisão dos assassinos dos dois companheiros, a militância do MST no Estado está preparada para mobilizar todo o estado na luta contra a impunidade e pela Reforma Agrária.