Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 9.jpg
  • 3.jpg
  • 2.jpg
  • 4.jpg
  • 5.jpg
  • 8.jpg
  • 10.jpg
  • 7.jpg
  • 6.jpg
  • 1.jpg
Depois de fechado acordo para não fazer a reintegração de posse da fazenda Lucena em Porto de Pedras, até a realização de uma reunião agendada com o Presidente do INCRA e o Ministro do Desenvolvimento Agrário em Brasília para a próxima sexta-feira (01/09) em Brasília, tropas federais estão neste exato momento cercando os acampados naquele município. Com 393 hectares a fazenda Lucena foi desapropriada pelo INCRA em novembro de 2002 e desde então as 32 famílias aguardam a emissão de posse. Na mesma época, o superintendente interino, Jorge Tadeu, afirmou que o depósito já tinha sido feito em juízo para aquisição do imóvel, mas que o processo se encontrava na justiça federal para emissão da carta precatória. De lá para cá, as famílias esperançosas sofreram todo o tipo de maldade do proprietário. Ameaças de morte, encapuzados ateando fogo nos barracos, animais soltos propositadamente que destruíram as roças dos camponeses e perseguições. A CPT/AL denunciou todos estes atos criminosos à vários órgãos do estado e de âmbito federal, mas até o momento nada se fez para elucidar os crimes. As famílias estão resistindo a ação e prometem só sair se for num caixão, pois lá construíram sonhos e não deixarão isso para trás. Outros acampamentos estão se juntando a Lucena em solidariedade. Maceió, 31 de agosto de 2006