Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 6.jpg
  • 4.jpg
  • 10.jpg
  • 1.jpg
  • 8.jpg
  • 7.jpg
  • 2.jpg
  • 9.jpg
  • 5.jpg
  • 3.jpg

Trabalhadores ocupam na manhã desta segunda-feira (06) a sede da prefeitura da cidade de Atalaia (45km distante de Maceió-AL) . Com faixas, cartazes e palavras de ordem, os manifestantes, organizados no chamado Comitê Popular em Defesa de Atalaia, reivindicam condições dignas para a população, pagamento de salários em atraso com foco nos servidos de educação e saúde.

O movimento é coordenado pelo Sindicato dos Educadores de Atalaia (Seata) e pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Os sem-terra reivindicam melhorias nos assentamentos.

Em entrevista ao TNH1, o prefeito da cidade, Manoel da Silva Oliveira, o "Mano Professor", disse que os salários referentes ao mês de novembro serão pagos antes do dia 10, como ficou estabelecido na assinatura do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público.  .

"Houve uma queda nos repasses do Fundeb, e por isso esse atraso. Mas estamos cumprindo o TAC, e até dia 10 garantimos o pagamento. Sobre os serviços de saúde, trata-se de uma crise no país inteiro. Os municípios estão falidos", alega o prefeito.

 

Sobre as reivindicações dos sem-terra, o prefeito diz que ainda vai receber a pauta do MST, oficialmente. "Eles querem máquinas e também a questão do programa Luz no Campo, que o governo federal implantou. A questão é que o governo colocou os postes, mas não colocou a eletricidade, deixando essa despesa para a prefeitura", disse o gestou.

Fonte: Site TN1