Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 5.jpg
  • 2.jpg
  • 7.jpg
  • 10.jpg
  • 3.jpg
  • 9.jpg
  • 6.jpg
  • 4.jpg
  • 8.jpg
  • 1.jpg

O mês de outubro é marcado pelo Dia Mundial da Alimentação, celebrado no último dia 16, e pela Jornada Nacional de Luta pela Soberania Alimentar, realizada pelas organizações que integram a Via Campesina. Para marcar a ocasião, comunidades apoiadas pela CPT na Mata Norte de Pernambuco realizaram nas últimas semanas uma série de ações de solidariedade com doações de alimentos saudáveis, fruto da luta pela terra.

 Mais de oito toneladas de alimentos diversificados, vindo diretamente da roça de famílias camponesas, foram doadas a pessoas em situação de vulnerabilidade ou fome nos municípios de Macaparana, Moreno e Tracunhaém.  Macaxeira, inhame, batata doce, feijão, laranja, limão, acerola, mamão, jerimum, farinha, massa de mandioca, goma de mandioca, pé de moleque, beiju, coentro, banana e canjica foram alguns dos alimentos entregues. Toda a produção veio das comunidades das famílias posseiras do Una, em Moreno; dos assentamentos Chico Mendes, Ismael Felipe e Nova Canaã, em Tracunhaém; e dos assentamentos Mariano Sales, Dom Helder e Belo Horizonte, em Aliança. 

Soberania alimentar já! As comunidades da Mata Norte do estado demonstram que com solidariedade e com a agricultura camponesa é possível combater à fome e minimizar outros impactos da pandemia, ao contrário do agronegócio, que produz commodities para exportação, concentra terras e contribui para o aumento da fome e dos preços dos alimentos no país.

A doação integra a campanha Partilhando o Pão e a Esperança, realizada pela CPT e comunidades acompanhadas na Mata Norte de Pernambuco, e tem o apoio da Ação Por Um Mundo Unido (AMU) e da Diocese de Nazaré da Mata. Neste mês de outubro, a campanha se soma à Jornada Nacional de Luta por Soberania Alimentar da Via Campesina.

Imagens: Plácido Junior - CPT PE/ Equipe Mata Norte CPT PE