Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 5.jpg
  • 9.jpg
  • 8.jpg
  • 2.jpg
  • 7.jpg
  • 10.jpg
  • 4.jpg
  • 1.jpg
  • 3.jpg
  • 6.jpg

Famílias dos engenhos da antiga e falida Usina Frei Caneca realizaram na manhã desta sexta-feira, 30, um protesto na PE 126, em Jaqueira, para denunciar a onda de violência e destruição que se intensificou nos últimos dias na região.

As destruições de sítios e roçados na região estão sendo realizadas com a presença de um oficial de justiça sob o pretexto de se cumprir a imissão na posse do novo proprietário que arrematou em leilão área da Usina. Ao todo, 1.250 famílias estão sob ameaça de despejo. Dessas, 250 podem, a qualquer momento, perder seus sítios pela questão do arremate. As ordens de imissão na posse vêm desconsiderando e fechando os olhos para os camponeses e camponesas que estão na área há décadas.

Além das plantações derrubadas nos dias 27 e 28, ontem, mais uma família teve seu sítio e sua plantação sumariamente destruídos, sem direito à prévia defesa nem à indenização pelas benfeitorias. A família planta há mais de 40 anos no Engenho Várzea Velha, zona rural do município. “Eles chegaram de repente, sem a gente esperar. Invadiram, derrubaram o curral, cortaram tudo, o coco, o abacate, o limão, a banana, destruíram tudo. A gente precisa de justiça, o que fizeram com a gente vão fazer com todos, o povo nos sítios não está conseguindo dormir, não sabem para onde ir”, destaca o agricultor.

A abertura dos leilões das terras da Frei Caneca vem sendo questionada pelas famílias e por organizações sociais por conter indícios de tentativas de revestir a terra de regularidade e livrá-las das dívidas fiscais e trabalhistas. O Estado e trabalhadores/as rurais, credores/as da Usina, sequer foram informados dos processos de arremate.

Após mobilização ocorrida na manhã de hoje, 30, representantes da CPT e da FETAPE foram recebidas/os pelo Juiz Federal Tarcísio Corrêa Monte para discutir as violências cometida contra famílias agricultoras da região. O Ministério Público Federal também participou do encontro. Na ocasião, as organizações alertaram o juiz das as irregularidades cometidas no cumprimento do mandado de imissão na posse, que vem desconsiderando e fechando os olhos para as famílias que estão na área há décadas. O juiz irá apreciar o pedido do Ministério Público Federal formulado nos autos.

Desde 2020 - com arrendamentos e abertura de leilões das terras da Frei Caneca - centenas de agricultores e agricultoras, antigos moradores dos Engenhos da Usina, têm sofrido constantes ataques e tentam dialogar com o Governador de Pernambuco, Paulo Câmara. Os camponeses e camponesas clamam por justiça e pedem a intervenção das autoridades competentes a fim de se evitar mais violência e destruição na região. A CPT, a FETAPE, a Diocese de Palmares, a Arquidiocese de Olinda e Recife, o Sintraf e outras organizações locais estão acompanhando o caso.

Imagens: CPT Equipe Mata Sul

Famílias bloqueiam a PE 126 na manhã de hoje, 30, para evitar a destruição de novos sítios e plantações, em Jaqueira, mata sul de PE

 

Destruições das plantações de famílias agricultoras em Jaqueira (PE)