Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 3.jpg
  • 9.jpg
  • 7.jpg
  • 10.jpg
  • 1.jpg
  • 8.jpg
  • 4.jpg
  • 5.jpg
  • 6.jpg
  • 2.jpg

 Nesta segunda-feira (26), às 13h, na comunidade quilombola de Ilha de Mercês, em Ipojuca, acontece o lançamento da Campanha RIO LIVRES, MANGUES VIVOS. A Campanha é uma ação de comunicação que visa chamar a atenção da população e das instituições a respeito dos processos de degradação por que passam os manguezais e as populações que deles dependem, tendo como mote inicial o caso do Rio Tatuoca, que banha o território da comunidade quilombola de Ilha de Mercê, em Ipojuca.

O Tatuoca está situado na região onde se instalou o Porto de Suape, e é um rio de fundamental importância econômica e cultural para o povo de Mercês, sendo responsável pela soberania alimentar e pela reprodução identitária da comunidade. *Em 2008, o rio teve seu curso interrompido pela construção de um dique de enrocamento, que deveria servir de passagem provisória - por no máximo 2 anos - para dar acesso ao Estaleiro Atlântico Sul. Entretanto, até hoje a obra permanece no local, bloqueando a foz do rio, sem qualquer processo de licenciamento ambiental que justifique sua presença. Sua permanência, além de ilegal, é danosa tanto para a vida da comunidade quilombola, que conta com mais de 213 famílias, quanto para o mangue, a fauna e a flora da região.

A Comunidade de Mercês tem lutado há mais de uma década contra o fechamento do rio. O maior desejo dessa comunidade tradicional é ver o rio livre, o mangue vivo e, assim, poder restaurar seu modo de vida. O rio e o mangue são as principais fontes de sustento da comunidade e ter os dois vivos e preservados é preservar também o povo de Mercês. A data de 26 de julho, inclusive, não foi escolhida à toa para o lançamento da Campanha. Trata-se do Dia Mundial da Proteção aos Manguezais, e também o dia de Nanã, orixá da terra molhada e da vida que dela brota. No lançamento, pescadores e pescadoras sairão em barqueata, num ato simbólico, para exigir a reabertura total do rio.

No curso da Campanha, haverá a publicação, nas redes sociais, de peças de comunicação (fotos, vídeos, podcasts etc.) abordando os problemas envolvidos no fechamento do rio e a dura realidade que vivenciam as pessoas que dele precisam para sobreviver. Essas peças contam com a visão dos membros da comunidade de Mercês, de pescadores e pescadoras afetados pelo barramento, de representantes da sociedade civil, pesquisadores, comunicadores, membros de organizações jurídicas etc.

A campanha é uma realização do Fórum Suape Espaço Socioambiental, em parceria com a Comunidade Quilombola de Ilha Mercês e a Ação Comunitária Caranguejo Uçá, e conta com o apoio das organizações Both ENDS e Fundo Casa Socioambiental.

Serviço:

Quando? 26 de julho

Horário? Concentração às 13h

O quê? Lançamento da Campanha “Rios Livres, Mangues Vivos”

Onde? Ilha de Mercês - Núcleo de Poeirinha


Mais informações:

Mariana Vidal - Coordenação do Fórum Suape Espaço Socioambiental

(81) 9.9874-2062

Rafael Negrão - Assessoria de Comunicação

(81) 9.9511.1987