Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 9.jpg
  • 10.jpg
  • 7.jpg
  • 6.jpg
  • 2.jpg
  • 1.jpg
  • 8.jpg
  • 4.jpg
  • 5.jpg
  • 3.jpg

Alagoas

Movimentos do campo protestam contra despejos em Alagoas

Famílias mobilizadas em todo Estado de Alagoas bloqueiam desde às 9h desta segunda-feira (06/08) diversos pontos de rodovias, em protesto contra despejos agendados para acontecer ao longo da semana e do mês. As famílias, organizadas no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST),…

Leia mais:

Familiares sepultam corpo do trabalhador rural assassinado em Alagoas

O corpo encontrado no último dia 26 em um bananal entre as fazendas São Gonçalo e Novo Horizonte, município de Porto Calvo, Alagoas, é mesmo do trabalhador rural Edvaldo Rodrigues Ferreira, acampado da Fazenda Porto Seguro, município de Porto de Pedras. A confirmação foi dada pelo Instituto de Medicina Legal (IML) de Alagoas nesta sexta-feira, dia 3. O corpo foi liberado no mesmo dia e sepultado neste último sábado (04/08) no cemitério São José, na cidade de Maceió.…

Leia mais:

Funcionários de usina Lajinha voltam a bloquear BR 104, em Alagoas

Funcionários da Usina Lajinha bloqueiam desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira, dia 3, um trecho da BR 104, próximo à cidade de União dos Palmares. De acordo com informações colhidas no local, os trabalhadores exigem o pagamento de três meses de salários em atraso. Os bloqueios têm ocorrido de maneira sucessiva, em vários trechos de rodovias alagoanas, prejudicando o fluxo de veículos.…

Leia mais:

Corpo encontrado em bananal pode ser de Sem Terra desaparecido em Alagoas

O corpo encontrado na última quinta feira, dia 26, em um bananal entre as fazendas São Gonçalo e Novo Horizonte, município de Porto Calvo, Alagoas, pode ser do trabalhador rural Edvaldo Rodrigues Ferreira, acampado da Fazenda Porto Seguro, município de Porto de Pedras. Edvaldo está desaparecido desde o dia 30 de junho. Segundo familiares, um dia antes do desaparecimento, o proprietário da fazenda, Everaldo de Albuquerque Alves, em conversa com Ferreira insistia em saber qual o nome da liderança do movimento que ocupou o imóvel. Diante da recusa de passar as informações, o proprietário ameaçou o sem terra dizendo que “então você vai dar conta, é justiça que vocês querem, justiça vão ter”.

Leia mais: