Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 4.jpg
  • 3.jpg
  • 2.jpg
  • 5.jpg
  • 1.jpg
  • 10.jpg
  • 7.jpg
  • 8.jpg
  • 9.jpg
  • 6.jpg

Centenas de trabalhadores que prestaram serviço às empresas responsáveis pelas obras dos túneis e canais, da transposição do São Francisco, na região de São José Piranhas e Cajazeiras, impacientes com a demora no retorno dos trabalhos, ameaçam acionar a justiça para receber salários, encargos trabalhistas não recolhidos e multas pela falta de segurança pessoal no trabalho.

Representantes do Sindicato dos trabalhadores da Construção Civil da Paraíba (STCC), filiada à Central Única dos Trabalhadores (CUT), estiveram em São José de Piranhas e se reuniram com os trabalhadores em questão.

Na ocasião foram discutidos assuntos referentes à restituição de valores devidos e não pagos a trabalhadores que foram vítimas de algumas empresas chamadas contratadas para prestarem serviços às duas firmas responsáveis pela obra: Consórcio paulista e Carioca.

Segundo Edmilson, representante do Sindicato é grande o número de trabalhadores que foram demitidos e não receberam suas garantias e outros valores fixados pela lei trabalhista, alguns ainda lutam para receber os próprios vencimentos.

DIÁRIO DO SERTÃO com informações do Gazeta do Alto Piranhas