Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 1.jpg
  • 8.jpg
  • 2.jpg
  • 4.jpg
  • 3.jpg
  • 6.jpg
  • 9.jpg
  • 5.jpg
  • 10.jpg
  • 7.jpg
Uma Sessão Especial, realizada ontem (8), na Câmara de Vereadores marcou a abertura da VI Romaria das Águas de Sobradinho. Cerca de 300 pessoas compareceram à atividade. Além dos vereadores do município, compuseram a mesa o Pe. João Sena, da Paróquia São Francisco de Assis; Ademilson Rocha, conhecido como Tiziu, representante do IRPAA (Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada), e Roberto Malvezzi, da Comissão Pastoral da Terra.

A Sessão Especial teve início com uma explanação do Pe. João sobre o tema da Romaria: “Das Águas do Velho Chico brotam Vidas” e alertou sobre o compromisso coma preservação ambiental para a manutenção da vida. Pe. João foi incisivo ao afirmar que o objetivo da Romaria é “mudar as mentes e corações das pessoas para a necessidade da preservação”. Em seguida, Tiziu apresentou algumas das problemáticas que vêm impactando o rio São Francisco e as comunidades que vivem ao longo da Bacia, como as mineradoras, barragens e projetos de irrigação.

Tiziu afirmou que o Nordeste sempre foi visto como um local deserto e inóspito, mas que essa visão precisa ser alterada com urgência. “É fundamental que tenhamos políticas públicas sustentáveis que levem em consideração a convivência com o semi-árido e a realidade das comunidades”. Além disso, Tiziu afirmou que o caminho para o real desenvolvimento das famílias que vivem na região é a distribuição justa das terras e águas, lembrando o bispo emérito da Diocese de Juazeiro, Dom José Rodrigues, afirmando que “não falta água no semi-árido. O que falta é justiça”.

Roberto Malvezzi, popularmente conhecido como Gogó, deu início à sua palestra falando do papel central que a água tem para a geração e preservação da vida. “Não há vida, de qualquer espécie, que permaneça sem água neste planeta”, enfatizou. Por fim, Gogó afirmou que o São Francisco já está no seu limite e, por isso, todos os grandes projetos e as agressões que o rio vem sofrendo precisam ser barrados, para que o Velho Chico possa descansar e continuar gerando vida no Nordeste. A VI Romaria das Águas continua hoje (9/10) com um Seminário, onde serão apresentadas experiências concretas de lutas, resistências e conquistas das comunidades rurais da região.
Fonte : CPT BA