Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

A Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, que denuncia e luta contra o uso abusivo de agrotóxicos no Brasil, que hoje é o país que mais se utiliza de venenos em sua produção agrícola (mais de 1 bilhão de litros de agrotóxicos foram jogados nas lavouras em 2009), lança uma campanha de arrecadação financeira, para a produção de materiais que tenham o objetivo de informar e mobilizar a sociedade em relação ao tema.

 

 

Com a aplicação exagerada de produtos químicos nas lavouras do país, o uso abusivo de agrotóxicos deixou de ser uma questão relacionada especificamente à produção agrícola e se transformou em um problema de saúde pública e preservação da natureza.

 

Abaixo, os dados para as pessoas dispostas e interessadas em contribuir:

 

Agência: 2901-7

Conta corrente: 33.153-8

Instituição bancária: Banco do Brasil

Titular: Associação Nacional da Agricultura Camponesa – ANAC.

Para entrar em contato diretamente com a Campanha, envie um email para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Leia o texto da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos sobre os efeitos dos agrotóxicos e a importância desta campanha financeira:

 

CAMPANHA DE ARRECADAÇÃO FINANCEIRA PARA A CAMPANHA CONTRA OS AGROTÓXICOS E PELA VIDA.

 

I - APRESENTAÇÃO DA PROBLEMÁTICA:

O Brasil é o primeiro colocado no ranking mundial do consumo de agrotóxicos. Mais de um milhão de toneladas (equivalente a mais de 1 bilhão de litros) de venenos foram jogados nas lavouras em 2009, de acordo com dados do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Defesa Agrícola e nos anos seguintes este número só seguiu aumentando.

Com a aplicação exagerada de produtos químicos nas lavouras do país, o uso abusivo de agrotóxicos deixou de ser uma questão relacionada especificamente à produção agrícola e se transformou em um problema de saúde pública e preservação da natureza.

Para piorar a situação o Brasil permite a utilização de uma série de substâncias e agrotóxicos que foram banidos de diversos países, justamente porque inúmeros estudos lá realizados já demonstraram, comprovadamente, que o seu uso causa terríveis danos ao ser humano e ao meio ambiente.

Entre os problemas que afetam a saúde estão má formação de fetos, problemas de reprodução, fertilidade, neurológicos e de fígado, desregulação hormonal, cegueira, paralisia, depressão, contribui para a formação de cânceres entre outros problemas e pode, é claro, levar à morte.

No meio ambiente, contaminam os rios, lagos, açudes e o lençol freático, matando peixes, abelhas e outros animais que contribuem para o equilíbrio ambiental, tais venenos persistem por muito tempo nos solos e na teia alimentar.

É diante desta triste realidade que um conjunto de organizações da sociedade, entre elas ambientalistas, professores, sindicalistas, estudantes, militantes de movimentos sociais, etc. se juntam para a construção da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, que por sua vez tem como objetivo denunciar os malefícios que vem sendo causados pelos agrotóxicos, tanto na saúde da população quanto no meio ambiente; no entanto não queremos ficar só nisso, e portanto também objetivamos o anuncio das propostas alternativas com base na produção de alimentos saudáveis, sem transgênicos e sem venenos.

 

II - OBJETIVO DA CAMPANHA:

Para dar visibilidade a este processo e também às alternativas existentes para sair desta dependência, a campanha elaborou um conjunto de materiais dos quais queremos publicar para distribuição gratuita na sociedade. A ideia é distribuir em escolas, universidades, organizações da sociedade civil, movimentos sociais, postos de saúde, hospitais, etc.

Queremos aproveitar este momento em que o povo sai às ruas para reivindicar seus direitos e assim poder distribuir materiais à sociedade com o objetivo de informá-la e também mobilizá-la para temas importantes como este.

Frente a isso queremos construir uma grande “Campanha de Arrecadação Financeira” para juntar recursos que possam ajudar na publicação destes materiais.

 

III - METODOLOGIA:

As contribuições devem ser feitas através de depósito ou transferência bancária, em uma conta administrada pela Secretaria Operativa Nacional da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, até o dia 30 de julho de 2013.

As pessoas que depositarem e quiserem se identificar devem enviar o comprovante de depósito para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

IV - PERÍODO: A ideia é que a campanha de arrecadação seja de longo prazo, mas para que possamos intensificar este período, vamos fazer uma primeira etapa até o dia 31 de agosto, de modo que pedimos que as contribuições possam ser feitas até esta data.

 

PRESTAÇÃO DE CONTAS E CONTA PARA DEPÓSITO.

Após o fim da Campanha, faremos um documento de prestação de contas que será enviado a todas as pessoas que contribuíram com este processo, e se identificaram enviando-nos o contato.

A conta para efetuação de depósitos e/ou transferências, é estritamente de uso da campanha e apta a receber tais contribuições. Segue abaixo os dados;

Agência: 2901-7

Conta corrente: 33.153-8

Instituição bancária: Banco do Brasil

Titular: Associação Nacional da Agricultura Camponesa – ANAC.

 

V - CONCLUSÃO:

Acreditamos que com esta campanha podemos arrecadar fundos para tais publicações que se fazem tão necessárias e que sem sombra de dúvidas contribuirá para o fortalecimento da consciência social em relação aos problemas gerados pelo uso abusivo de agrotóxicos e plantio de sementes transgênicas, bem como o conhecimento em relação à agroecologia e seus benefícios.

 

 

Fonte: Página Eletrônica do MST