Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Pernambuco

Seguranças privados com cães, Polícia e drones: o dia na comunidade de Barro Branco, em Jaqueira (PE)

Mais uma demonstração da violência com a qual a empresa Agropecuária Mata Sul S/A vem tratando as famílias camponesas no município de Jaqueira (PE) pôde ser vista durante essa última sexta-feira, 22/05. Durante a manhã, na comunidade Barro Branco, os agricultores e agricultoras foram surpreendidos com a presença de seguranças privados da empresa, armados e com cachorros rotweiller. A Polícia Militar também estava junto aos seguranças privados, os quais acompanhavam serviço de instalação de uma cerca junto à estrada que corta o Engenho.…

Leia mais:

No Agreste e no Sertão de Pernambuco, famílias camponesas prestam solidariedade doando alimentos a quem mais precisa

No Agreste e no Sertão de Pernambuco, famílias camponesas prestam solidariedade doando alimentos a quem mais precisa

Solidariedade, partilha e comunhão são valores alimentados todos os dias pelos povos da Terra, das Águas e das Florestas. Não poderiam agir diferente em tempos de crise e de pandemia. Em todos os cantos do estado e do país há iniciativas de doação de alimentos da agricultura camponesa a quem mais precisa. Com a comida, vai também a esperança de dias melhores e de um mundo saudável e livre de desigualdades.…

Leia mais:

Em Jaqueira (PE), empresa é novamente acusada de destruir plantação de família camponesa

Na manhã desta terça-feira, 19/05, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) recebeu mais um relato de violência praticada pela empresa Agropecuária Mata Sul S/A contra a comunidade de Fervedouro, localizada em Jaqueira, Zona da Mata Sul de Pernambuco. Segundo informações locais, por volta das 7h, cerca de 20 funcionários da empresa destruíram aproximadamente dez mil pés de banana plantados pela família do agricultor Reginaldo Felix. Durante a destruição, a família se encontrava na escola comunitária, na sede do Engenho Fervedouro, participando da campanha de vacinação promovida pela Prefeitura de Jaqueira. Só chegou ao sítio quando tudo já havia sido destruído, mas ainda a tempo de avistar funcionários da empresa indo embora com carros e motos.…

Leia mais: