Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 10.jpg
  • 9.jpg
  • 1.jpg
  • 2.jpg
  • 7.jpg
  • 5.jpg
  • 3.jpg
  • 8.jpg
  • 4.jpg
  • 6.jpg

Na Paraíba, jovens de comunidades acompanhadas pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) partilharam, nas últimas semanas, mais de 16 toneladas de alimento da agricultura camponesa com quem vem sofrendo com os efeitos decorrentes da pandemia no estado. A partilha dos alimentos é resultado da Campanha “Juventudes Brasil - Alemanha: em Solidariedade aos pobres em tempos de Pandemia”. 

A Campanha, iniciada em julho, envolveu a juventude de mais de cinquenta comunidades camponesas acompanhadas pela CPT na Paraíba e foi realizada em parceria com a Rede SoliVida, com os Institutos Frei Beda e Mãe Terra e com as juventudes das organizações alemãs KLJB - Movimento de Juventude Católica na Alemanha - e da entidade Aktionskreis Pater Beda.

Na Paraíba, a juventude camponesa realizou coletas de alimentos produzidos nos roçados de suas comunidades. Já os/as jovens na Alemanha arrecadaram recursos para adquirir parte da produção das comunidades paraibanas e destiná-las à doação. A soma das ações, lá e cá, resultou num marcante gesto de solidariedade que levou comida saudável e de qualidade para a mesa de mais de mil famílias paraibanas.

Macaxeira, inhame, batata doce, jerimum, feijão, banana, mamão, hortaliças, mel, coentro, tomate, alface, cenoura, pão, beiju, goma e bolos foram alguns dos alimentos doados. Toda a produção veio de comunidades camponesas que lutaram durante vários anos pelo direito à terra e demonstraram, com o gesto, o que a Reforma Agrária pode fazer para combater a fome e a injustiça no país.

Acompanhe as ações nas regiões:

Na Diocese de Guarabira, comunidades camponesas acompanhadas pela CPT distribuíram 2.690 quilos de alimento para famílias de crianças e adolescentes atendidos/as pela Associação de Educação Popular e Promoção da Vida (Aeprovida), no município de Alagoinha.

Os alimentos foram produzidos pelas comunidades de Redenção, Senhor do Bonfim e Monsenhor Luiz, localizadas nos municípios de Pilões, Alagoinha e Alagoa Grande. A entidade beneficiada realiza trabalho social com 125 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social no município, oferecendo reforço escolar, curso de informática, oficinas de artesanato, além de atividades esportivas e de lazer.

"Fico muito feliz em ver o trabalho da CPT e agradeço pelas doações que vão ajudar crianças carentes da periferia de Alagoinha”, declarou o Diácono Severino Fernandes, Presidente da Organização Não Governamental. “Lutar nunca foi em vão”, completou. Severino Cabral do Nascimento, coordenador da entidade, também destacou a importância do gesto para garantir alimentos saudáveis ao público atendido, afirmando ainda que as doações os ajudarão a permanecer “firmes na luta” em busca da efetivação de direitos.

 

Imagens: Equipe CPT Guarabira/PB

 

No Alto Sertão paraibano, 2.620 quilos de alimento da agricultura camponesa foram destinados ao público atendido pela creche Santa Clara de Assis, localizada em Itaporanga, pela Paróquia da cidade de Santa Helena, e a famílias do acampamento Boa Conquista e do lixão da cidade de Cajazeiras. Os alimentos também foram distribuídos para famílias do bairro Jardim Iracema, no município de Souza, e para o acampamento Verdes, em Aparecida.

Ao todo, 200 famílias em situação de vulnerabilidade foram beneficiadas com a produção oriunda de comunidades de assentamento acompanhadas pela CPT na Diocese de Cajazeiras. A ação contou com o apoio de organizações que integram a Rede SoliVida na região, como as Obras Sociais da Ordem Franciscana Secular e o Instituto Frei Beda de Desenvolvimento Social (IFBDS).

“São tempos difíceis, mas percebemos a grande solidariedade de pessoas que pensam em quem passa por necessidade neste momento. Para a juventude, é muito gratificante participar de campanhas como essas, nos ajuda a amadurecer e compreender o quanto é fundamental esse engajamento na sociedade, além de fortalecer nossa esperança no futuro”, acredita o jovem Joandro Ferreira Gomes, do assentamento Padre Cleide, no município de Santa Helena.

 

 

Imagens: Equipe CPT Cajazeiras/PB.

 

Já na Diocese de João Pessoa, sete toneladas de alimento foram doadas a mais de 300 famílias em situação de fome na região. A produção foi recolhida das comunidades Marinas do Abiaí, Capim de Cheiro, Antônio Pinto, Boa Esperança, Jardim, Jaracatiá, Novo Salvador, Almir Muniz, Padre João, Rainha dos Anjos, Dona Helena e Padre Gino. Foram beneficiadas famílias atendidas pela Associação Frei Gregório, em Cabedelo, pela ACVIDA, em Alhandra, pela Escola São Tiago, em João Pessoa, e pela Associação de Mulheres Feministas, em Juarez Távora. Também foram entregues alimentos no Abrigo de idosos e na periferia de Jacaraú, além do bairro Brejinho, em Itabaiana.

O camponês e agente pastoral da CPT, João Muniz, relata que foi feita uma grande maratona para garantir que os alimentos fossem entregues às famílias. João Muniz ressalta que a iniciativa da campanha de solidariedade das juventudes Brasil - Alemanha foi um “gesto de solidariedade muito lindo e importante, ainda mais por tudo que estamos passando com essa pandemia que assola o mundo. O serviço aos pobres é o serviço ao Evangelho e o serviço ao próprio Deus da Vida. É a missão dada à CPT que segue as mesmas práticas de Jesus, no amor e na solidariedade aos empobrecidos e empobrecidas”, conclui.

  

  

Imagens: Equipe CPT João Pessoa/PB.

 

Na Diocese de Campina Grande, os alimentos arrecadados com a campanha foram entregues à Casa da Criança Dr. João Moura, à Associação para Promoção Humana Santo Antônio, ao grupo de indígenas migrantes da Venezuela, da etnia Waraos abrigados em Campina grande, e ao grupo de migrantes venezuelanos abrigados no município de Puxinanã. Ao todo, 300 famílias foram beneficiadas com cerca de quatro toneladas de produtos da agricultura camponesa vindos das comunidades de assentamentos São Luiz, no município de Sossego, Brandões, em Cuité, Pau D’arco, Uruçu, Boa Esperança e Serra Preta, localizadas em Alagoa Nova.

Tanto a etapa da arrecadação quanto a da entrega dos alimentos contaram com a ampla participação de jovens dessas comunidades e de várias outras acompanhadas pela CPT na região. Para o jovem Lucas da Silva, do assentamento Campos Novos, em Sossego, o momento foi de solidariedade, mas também de muito aprendizado e troca de experiências. “Dava pra ver no olhar das pessoas o interesse em participar desta ação tão importante”, ressaltou.

 

Imagens: Equipe CPT Campina Grande/PB.

O gesto concreto de solidariedade, com o envolvimento ativo da juventude, foi bonito de ver, como aponta Valdenice Silva, agente pastoral da CPT em Campina Grande. “Famílias acompanhadas pela CPT estão partilhando um pouco do que produziram na terra que conquistaram e os jovens estão motivados em realizar as doações”, destaca. Já a agente pastoral da CPT em Guarabira, Joseane Souza, destaca que realizar com a juventude camponesa mais uma ação de solidariedade em tempos de pandemia “é manter viva a esperança de dias melhores, é reafirmar nossa missão diante da vida humana que sofre, é olhar a Vida em primeiro lugar".

 

 

Por CPT Nordeste 2.