Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 10.jpg
  • 8.jpg
  • 2.jpg
  • 5.jpg
  • 9.jpg
  • 1.jpg
  • 4.jpg
  • 7.jpg
  • 6.jpg
  • 3.jpg

Os canavieiros e canavieiras dos seis municípios na Zona da Mata Norte de Pernambuco decidiram encerrar a ocupação no pátio da Usina Cruangi, localizada na cidade de Timbaúba, na tarde desta terça (31). Eles também liberaram a BR 408, que estava bloqueada desde o final da manhã de hoje, mas continuarão em estado de alerta.

 

A partir de amanhã (1), os Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadores Rurais (STTRs) de Aliança, Condado, Goiana, Itambé Vicência e Timbaúba irão se reunir com os/as trabalhadores/as para, juntos, moverem uma ação trabalhista contra a Usina Cruangi, para garantir o recebimento dos salários atrasados.

 

A Fetape e os STTRs que têm trabalhadores empregados na Usina Cruangi protocolaram no início da tarde, no Incra/SR03, um pedido de desapropriação das terras da empresa para fins de reforma agrária. Hoje também, no início da manha, houve uma reunião dos sindicalistas com o secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar, e os Deputados Aluísio Lessa, Maviael Cavalcanti e Antônio Moraes, que se comprometeram em direcionar todos os esforços possíveis na intermediação do diálogo da classe trabalhadora com os gestores da Usina e até com o Poder Judiciário, caso seja necessário.

 

 

 

Para entender o caso da Usina Cruangi

 

A ocupação da Usina aconteceu na manhã de ontem (30) e só  foi tomada depois que a Fetape  e os STTRs fizeram várias tentativas de negociação com os empregadores, mas sem sucesso. Há mais de dois mil empregados no corte da cana, de seis municípios de Pernambuco, prejudicados com essa situação.

 

O argumento dos administradores da Cruangi para o atraso dos salários é o fato de o Tribunal Regional Federal ter bloqueado todo o patrimônio físico e financeiro da usina, por conta de dívidas tributárias com a União.

fonte: Página FETAPE