Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 6.jpg
  • 2.jpg
  • 5.jpg
  • 10.jpg
  • 7.jpg
  • 4.jpg
  • 1.jpg
  • 9.jpg
  • 8.jpg
  • 3.jpg

Especial mulheres trabalhadoras


Especial dia das mulheres: A realidade desumana das mulheres canavieiras em Pernambuco




Neste mês de março, em homenagem a luta das mulheres trabalhadoras, a Comissão Pastoral da Terra e a Via Campesina Pernambuco mostram, nesta  reportagem especial, a realidade das trabalhadoras rurais da zona da mata do estado, vítimas da exploração cotidiana protagonizada pelo monocultivo da cana de açúcar. Os relatos e depoimentos das canavieiras mostram o lado ainda mais perverso do modelo de produção baseado no agronegócio e são a prova da necessária luta contra o agronegócio e pela Reforma Agrária e Soberania Alimentar para o povo brasileiro.  





Assista ao vídeo  

Você pode visualizar a notícia aqui.

Especial dia das mulheres: A luta de Maria Francisca

Em novembro de 1998, numa situação de total desamparo, mas de exemplar resistência, a camponesa Maria Francisca de Lima, indignada com a possibilidade de ser expulsa de seu sítio de meio hectare, no município de São Lourenço da Mata, pela poderosa Usina São José, procurou a Ordem dos Advogados de Pernambuco (OAB), a Comissão Pastoral da Terra e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (FETAPE) em busca de apoio e solidariedade.

Assista ao vídeo

 

Você pode visualizar a notícia aqui.





Manifesto das Mulheres da Via Campesina



Nós mulheres, camponesas, ribeirinhas, extrativistas, indígenas, quilombolas e sem terra, queremos denunciar com nossas ações políticas a extrema gravidade da situação dos trabalhadores rurais no Brasil.Não nos subordinaremos a este modelo capitalista e patriarcal de sociedade, concentrador de poder e de riquezas. Não queremos o projeto de agricultura do agronegócio, hidronegócio e das empresas transnacionais no Brasil.



Você pode visualizar a notícia aqui.





Usina com trabalho escravo é alvo de protesto das mulheres da Via Campesina


Mulheres denunciam trabalho escravo protagonizado pelas Usinas no estado. Em fevereiro, A Cruangi foi flagrada com mais de 250 trabalhadores rurais, entre eles 27 menores de idade, trabalhando em regime de escravidão

Mulheres da Via Campesina realizaram hoje (09) um protesto em frente à Usina Cruangi, localizada no município de Aliança, Zona da Mata norte de Pernambuco. Portando bandeiras e faixas com dizeres como “Trabalho Escravo, vamos abolir de vez essa vergonha!” e “Em cada grama de açúcar, uma tonelada de injustiça!”, as mulheres protestaram contra o modelo de monocultivo da cana e o trabalho escravo e infantil nas Usinas do estado.

Assista ao vídeo 



Você pode visualizar a notícia aqui.





Mulheres da Via Campesina ocupam sede da Codevasf no Sertão de Pernambuco



As mulheres da Via Campesina continuam se mobilizando na Jornada Nacional de luta contra o agronegócio e em defesa da Reforma Agrária e da Soberania Alimentar, que acontece em todo o país na semana do Dia Internacional das

mulheresTrabalhadoras.  Na manhã de hoje (10) cerca de 700 mulheres ocuparam as sedes da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco) nas cidades de Petrolina e Petrolândia, ambas no Sertão de Pernambuco.

Você pode visualizar a notícia aqui.





JACQUES DIOUF -Diretor Geral da FAO elogia luta das mulheres da Via Campesina

No segundo dia de mobilizações em torno da Jornada das Mulheres da Via Campesina, uma comissão de agricultoras foi recebida em Brasília pelo Diretor-Geral da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), Jacques Diouf. No encontro, Diouf ouviu um relato das ações que as camponesas realizam nesta semana para denunciar a prioridade do governo ao agronegócio e às empresas transnacionais do setor exportador, especialmente da agricultura, enquanto deixa em segundo plano os trabalhadores rurais, a produção de alimentos e a Reforma Agrária.



Você pode visualizar a notícia aqui.





Dia Internacional da Mulher: Em busca da memória perdida



SOF – Sempreviva Organização Feminista

A referência histórica principal das origens do Dia Internacional da Mulher é a II Conferência Internacional das Mulheres Socialistas em 1910, em Copenhague, na Dinamarca, quando Clara Zetkin propôs uma resolução de instaurar oficialmente um dia internacional das mulheres. Nessa resolução, não se faz nenhuma alusão ao dia 8 de março. Clara apenas menciona seguir o exemplo das socialistas americanas. É certo que a partir daí, as comemorações começaram a ter um caráter internacional, expandindo-se pela Europa, a partir da organização e iniciativa das mulheres socialistas.

Você pode visualizar a notícia aqui.



Mulher na ótica de dominação do capital produtivo

É a partir da forma como somos encaradas pelo capital, como mercadoria, que a potencialização da nossa luta ganha dimensões ainda mais expressivas.
Em meio à comemoração das conquistas manifestas pelo dia internacional da mulher, 8 de março, o debate a ser aprofundado é sobre a particular funcionalidade da diferenciação entre homem e mulher no modo de acumulação capitalista.

Algumas perguntas serão sugeridas como forma dialógica sobre o tema.

Você pode visualizar a notícia aqui.