Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Neste próximo domingo, 30/06, a partir das 9h, camponeses e camponesas da zona da mata norte de Pernambuco celebrarão a colheita e a partilha do milho em uma festa que será realizada na comunidade do assentamento de Belo Horizonte, em Aliança/PE. A celebração é organizada pela Comissão Pastoral da Terra em conjunto com as comunidades camponesas da zona da mata norte do estado.

 

Esta é uma colheita bastante especial para os camponeses e camponesas da região, pois a plantação é fruto de uma partilha de sementes crioulas realizadas entre eles/as em 2018. As sementes crioulas, também denominadas de sementes nativas, são aquelas que não tiveram sua estrutura genética modificada pela indústria e não são patenteadas por nenhuma empresa. São preservadas por famílias camponesas e passadas de geração em geração, sendo símbolo da autonomia, da agricultura e cultura camponesa.

Conforme aponta Benoni Codácio, da CPT, a celebração da colheita e da partilha do milho produzido com sementes crioulas é uma conquista para a região e sinônimo de resistência e esperança. O contexto ao qual estão inseridos os camponeses e camponesas é de hegemonia do monocultivo da cana-de-açúcar e também de monopólio de sementes modificadas e industrializadas.

A celebração da colheita do milho crioulo se insere em um conjunto de ações, realizadas pela equipe de CPT na mata norte do estado e pelas comunidades locais, que visam à criação de um banco de sementes nativas na região. Produzir, guardar e partilhar sementes crioulas fortalece a autonomia produtiva das famílias camponesas, contribui para a produção de alimentos saudáveis e para a valorização dos saberes e práticas camponesas que foram oprimidas pelo agronegócio sucroalcooleiro na zona da mata pernambucana.