Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

 Presença de bactéria no Rio São Francisco prejudica serviços
Arapiraca: – A degradação do Rio São Francisco, no trecho que corta o Alto Sertão alagoano, torna-se mais evidente com a suspensão preventiva do fornecimento de água para oito municípios da região, determinada ontem pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).

O motivo seria a presença de bactérias no lago formado pela represa de Xingó e que tem sido utilizado para a captação às localidades. A contaminação da água foi identificada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e com isso o abastecimento para as cidades ficou comprometido, entre as quais Delmiro Gouveia e Pariconha, com suspensão total do fornecimento.

Além dessas duas localidades, Olho D’água do Casado, Piranhas, Mata Grande, Água Branca, Canapi e Inhapi estão com o abastecimento deficiente até que o problema seja solucionado, segundo a Casal. Enquanto isso, a companhia garante o fornecimento para as localidades através de carros-pipa, segundo assegurou à imprensa o diretor de Operações da empresa, Francisco Beltrão.

A Casal informa ainda que as bactérias encontradas nas águas são da espécie Cylindrospermopsis raciborskii, conforme o laudo divulgado pelo Ibama, na quantidade de 407.880 células por mililitro, quando o limite máximo no local deveria ser de 20 mil células por mililitro. Ainda de acordo com a companhia, novas análises devem ser realizadas nos próximos dias, para identificar se há a presença da toxicina no ponto de captação.

Como o Rio São Francisco divide Alagoas de Sergipe, a companhia de saneamento daquele Estado também deve realizar as pesquisas, já que utiliza a água para o abastecimento da população.

Site Gazeta Alagoas