Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

No mês passado, cerca de 200 famílias sem terra foram despejadas de terras consideradas improdutivas e a Arquidiocese de Maceió divulgou nota pública em solidariedade

Na manhã deste último sábado (05.02), durante a santa missa que antecedeu mais uma edição da Feira da Esperança e da Solidariedade em frente à Igreja São Gonçalo no bairro do Farol em Maceió, o Arcebispo Dom Antonio Muniz assumiu publicamente o apoio às famílias camponesas de diversos acampamentos dos movimentos rurais, inclusive da Comissão Pastoral da Terra, que estão sendo ameaçadas de despejo em Alagoas.


No mês de janeiro foram retiradas cerca de 200 famílias de terras consideradas improdutivas e vários hectares de alimentos foram destruídos, de áreas onde os camponeses já vivem em comunidade por mais de cinco anos. A Arquidiocese de Maceió também declarou apoio às 102 famílias camponesas do Acampamento Bota Velha no município de Murici, que é acompanhado pela CPT-AL desde 2002, e poderia ser transformado em assentamento, já que possui escola, capela, casa de farinha, açude, casas com energia elétrica e boa produção. A reintegração de posse foi concedida pelo Juiz Agrário Ayrton Tenório e estar prevista para acontecer no dia 21 de fevereiro, e os camponeses não tem para onde ir.

A nota de solidariedade às famílias camponesas sem terra foi lida para os fiéis presentes no encerramento da cerimônia religiosa.

Confira abaixo na íntegra a CARTA DA TERRA da Arquidiocese de Maceió:

 

 

 

Setor de comunicação da CPT AL