Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Em mais uma grande audiência pública realizada nessa sexta-feira (29), em Carpina, trabalhadores e trabalhadoras rurais da região da Mata e Metropolitana demonstraram a força que vem do campo e a disposição de lutar por seus direitos que estão sendo atacados pelo atual governo. A cultura local marcou o início da audiência com a apresentação do maracatu rural Estrela Brilhante de Nazaré da Mata, que resiste há mais de 100 anos. 



“Terminamos o giro pelo estado realizando esta audiência sobre a MP 871 e PEC 06 com mais de 2 mil trabalhadores e trabalhadoras da Mata e Metropolitana que mostraram sua disposição e garra para lutar contra as mudanças na previdência. A Fetape, demonstrando o seu compromisso, conclui uma etapa da batalha que teremos para barrar as maldades desse governo. Agora é hora de organizarmos audiências nos municípios para denunciar esses retrocessos”, avaliou o vice-presidente da Federação, Adelson Freitas. 

Vários parceiros estiveram presentes na audiência da Mata: CUT, MST, CPT, Sindicato dos Metalúrgicos, Sindicato dos Bancários, MCP, CTB e Fetaepe, além dos representantes da agricultura familiar no parlamento, o deputado estadual Doriel Barros, e o deputado federal, Carlos Veras, que estiveram em todas aa audiências O presidente da Contag, Aristides Santos e o ex-ministro da previdência social, Carlos Gabas, também marcaram presença.

Em seu discurso, o ex-ministro Carlos Gabas defendeu a condição dos agricultores familiares como segurados especiais pela importância que eles têm na segurança alimentar da população. “A PEC 06 não é reforma. É um ajuste fiscal nas costas do trabalhador. Não podemos aceitar essa imposição de regras. Esses caras não têm a mínima noção do que é o Brasil, de onde vem o alimento que chega na mesa deles. Quem acha que o alimento vem do latifúndio está enganado. Ele vem da agricultura familiar. Portanto atacar os trabalhadores rurais é uma maldade grande”. 

Esta foi a terceira audiência regional realizada em março pela Fetape e seus sindicatos, em parceria com diversos movimentos sociais e sindicais. As primeira ocorreu em Afogados da Ingazeira, no Sertão, e a outra em Tacaimbó, no Agreste. 

A presidenta da Fetape, Cícera Nunes, avaliou as audiências como um grande elo de congregação de forças dos movimentos do campo e da cidade e ressaltou que essa união precisa se fortalecer cada vez mais. “Estamos chegando com essa audiência a mais de 8 mil pessoas em todo o estado. Esse governo maldoso tem que ser barrado e só é barrado se o povo for às ruas. Temos que estar unidos nesse momento e essa audiência representa muito bem isso”. 

Emendas - Como nas outras duas audiências, foram entregues aos parlamentares presentes uma carta compromisso e as emendas apresentadas pela Contag à MP 871 com o objetivo de evitar que milhões de trabalhadores sejam excluídos da previdência. “A Contag apresentou 12 emendas. Por isso é muito importante essa mobilização. É a pressão popular que vai fazer a gente vencer. Estão aqui todos os movimentos, prefeitos, empresários. Todos aqui que estiverem em favor do Brasil tem que ser contra essa reforma", disse Aristides.

 

 

Fonte: FETAPE