Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Entre os dias 01 e 03 de fevereiro de 2019, ocorreu, na cidade de Olinda/PE, reunião de articulação das pastorais sociais, CEBs e organismos de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) dos estados nordestinos. A reunião teve como principal objetivo dar continuidade à articulação, fortalecer a caminhada dessas organizações que atuam na região e pensar estratégias de ação conjunta.

O encontro teve início com uma partilha da realidade e dos principais problemas existentes em cada estado do Nordeste, especialmente aqueles que afligem as populações mais vulnerabilizadas e empobrecidas do campo e da cidade. Os impactos provocados por grandes projetos desenvolvimentistas, a violência contra as populações camponesas e contra as mulheres e o extermínio da juventude negra foram alguns dos principais problemas apresentados. O debate sobre conjuntura política, que ocorreu em seguida, contou com a facilitação de Plácido Junior, da Comissão Pastoral da Terra (CPT), de Alcilene Bezerra, do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e da professora Alzira Medeiros, da rede de educadores e educadoras populares do Nordeste.

Já no dia 02 pela manhã, a programação da reunião contou com uma análise de conjuntura eclesial, que pretendeu refletir também sobre qual o papel da Igreja no enfrentamento aos problemas vivenciados na região. Durante os demais turnos do encontro, os/as participantes puderam debater sobre estratégias comuns para o ano de 2019 que fortaleçam a articulação dessas organizações e as lutas sociais frente a um cenário de acirramento de conflitos sociais, de violações de direitos humanos e de criminalizações.

Roberto Jeferson Normando, da coordenação regional do Setor de Pastoral Social da CNBB NE 2, ressalta a importância do encontro: “temos a oportunidade de fortalecer a caminhada das nossas pastorais, a articulação e as resistências. Estamos em tempos de resistência. Mas são tempos de resistência para construir o novo. O sonho e a construção de uma sociedade justa, solidária  e fraterna é tarefa nossa, do dia a dia, e muitas das experiências das pastorais já apontam sinais do novo. Precisamos dar visibilidade as nossas lutas e nos articular. Essas são tarefas desafiadoras para 2019. Continuaremos lutando pela vida, pela dignidade de todos e de todas e pela nossa democracia”. Roberto Jeferson também ressalta a relevância dessa articulação para o Nordeste, região marcada por históricas lutas sociais de resistência, mas também de muitas injustiças e violações de direitos humanos.

Estiveram presentes na reunião representantes da Cáritas (NE 01, 02, 03, 04) da Comissão Pastoral da Terra (CPT NE 02,03, e de Crateús/CE), do Conselho Pastoral dos Pescadores (CPP NE 02, BA, CE e Maranhão), do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), da Pastoral da Criança, da Rede de educadores e educadoras populares do Nordeste, da Diocese de Pesqueira, do Setor de Pastorais sociais da CNBB (NE 01, 02, 03, 05), PJMP/AOR, CEBI, CEBs, Rede SAR da Arquidiocese de Natal, do Movimento Nacional Fé e Política e do Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Espaço Agrário e Campesinato da Universidade Federal de Pernambuco (LEPEC/UFPE).